Parceiros

A SERVIR-Amazônia é liderada por instituições internacionalmente reconhecidas que têm um forte histórico de realizações na aplicação de soluções baseadas na ciência para problemas de desenvolvimento.

CIAT, uma pesquisa internacional para a organização do desenvolvimento, é o centro líder de implementação da SERVIR-Amazonia. Formalmente estabelecida em 1967, seu objetivo é aumentar a prosperidade e aprimorar a nutrição humana nos trópicos através de soluções baseadas em pesquisas na agricultura e meio ambiente. A CIAT tem sido uma participante regional e parte interessada pelos últimos 50 anos, com vínculos a organizações públicas, privadas e não governamentais em toda região da Amazônia.

A CIAT traz um conjunto robusto de competências essenciais nas áreas com prioridades temáticas para a SERVIR Amazonia: Através da sua área de pesquisa sobre agroecossistemas e paisagens sustentáveis, o Centro se posiciona como um provedor de evidência sobre abordagens de resiliência de sistemas, eficiência do uso de recursos, igualdade social e subsistência locais. A CIAT também lidera o Research Program on Climate Change, Agriculture and Food Security (CCAFS) que identifica e trata das interações mais importantes, sinergias e compensações entre a mudança climática e a agricultura. Por último, a CIAT desenvolveu conhecimento regional em uma gama de tecnologias geoespaciais dentro das áreas temáticas da SERVIR, incluindo: Sistemas de monitoramento de previsões quase em tempo real que potencializam o aprendizado de máquina para identificar perdas de habitat, modelos de adequação climática para o planejamento de paisagens resilientes ao clima, análise do cenário geoespacial para auxiliar na resolução de conflitos relacionados à água ou avaliações de serviços do ecossistema que integram carbono do solo, biodiversidade e orçamentos hídricos.

A CIAT faz parte da CGIAR, uma parceria de pesquisas globais que une organizações envolvidas na pesquisa para um futuro alimentar seguro, realizada pelos 15 centros.

SIG, um grupo de pesquisas com base nos Estados Unidos, fundada em 1998, reúne cientistas com conhecimento em análise geoespacial, ciências ambientais e socioeconômicas. O objetivo da SIG é ajudar as partes interessadas a tomar decisões informadas sobre a gestão, uso do solo e políticas ao converter dados espaciais em conhecimento que eles podem usar em um mundo com condições climáticas em constante mudança. O grupo de pesquisas fornece uma ampla gama de conhecimento geoespacial em áreas como ecologia, silvicultura, gestão de perigos e riscos de incêndios, economia ambiental, planejamento urbano e regional, recursos naturais, gestão de recursos hídricos e funções do ecossistema.

A SIG atualmente é uma parceira Consortium Hub na SERVIR Mekong e mantém uma rede de Universidades compostas da Universidade de São Francisco, a Universidade de Vermont, a Universidade do Havaí, a Universidade da Califórnia e a Universidade do Colorado. Como parte do processo de fundação do Consortium, a SIG começou o desenvolvimento de um Memorando de Entendimento em longo prazo com a sua irmã, a Universidade Javeriana, com base em Cali, Colômbia. A SIG compartilhará a sua experiência e abordagem no mapeamento de recursos naturais, desenvolvimento de ferramentas, análises geoespaciais e apoio a decisões pessoalmente com tomadores de decisões do governo e os principais grupos da sociedade civil da região da Amazônia. Além disso, a equipe de Tecnologia da Informação da SIG pode fornecer apoio para uma gama de gestão de dados, armazenamento e necessidades de distribuição web durante a duração do programa.

ACCA é uma organização peruana sem fins lucrativos que tem sido uma líder de inovações nas iniciativas de conservação, pesquisa e gestão de biodiversidade da Amazônia desde 1999. Sua missão é proteger as paisagens mais diversas do planeta, treinar a próxima geração de preservacionistas e reforçar subsistências sustentáveis. A ACCA tem sede em Lima e tem escritórios regionais em Madre de Dios e Cusco. Ela opera três estações de pesquisa biológica de ponta que oferecem um gradiente altitudinal exclusivo desde floresta nublada a encostas até a planície Amazônica. Um membro de diversas alianças relacionadas à Amazônia, a ACCA trabalha com a Amazon Conservation Association-ACA em Washington DC e com a Bolivian Association for
Research and Conservation of Andean-Amazonian Ecosystems-ACEEA na Bolívia. A estratégia de intervenção da ACCA é estabelecida junto com quatro das seguintes linhas programáticas: 1) Ciência e educação, como uma forma de gerar informações e transferi-las aos tomadores de decisões; 2) Proteção do habitat, identificando áreas de alto valor ecológico e social para a conservação; 3) Subsistências sustentáveis, com iniciativas rentáveis baseadas no uso sustentável dos recursos naturais para aprimorar a qualidade de vida de residentes rurais e comunidades indígenas; e 4) Identificação de ameaças e soluções de avanço, em que a tecnologia, pesquisa e a ação política desempenham um papel importante.
Atualmente, a ACCA se concentra no monitoramento do desmatamento quase em tempo real com base em satélites, apoiando o governo peruano no aprimoramento da resposta política às informações de desmatamento. O Monitoring of the Andean Amazon Project (MAAP) é dedicado ao monitoramento do desmatamento da Amazônia quase em tempo real usando a última tecnologia de satélites. O MAAP foi lançado em 2015 com o financiamento das ciências aplicadas da NASA. O MAAP publicou mais de 90 relatórios públicos de alto impacto (e um adicional de 50 relatórios confidenciais para agências governamentais).

Atividades adicionais incluem a promoção de um sistema regional de áreas de conservação em Cusco e a implementação de iniciativas locais para a gestão de recursos naturais em pontos cruciais de desmatamento em Madre de Dios. A nossa abordagem é baseada na pesquisa científica, com um eixo fundamental da tecnologia, estações biológicas e trabalho de campo nos Andes da Amazônia.

IMAFLORA (Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola) é uma organização brasileira não governamental e sem fins lucrativos criada em 1995 para promover a conservação e uso sustentável de recursos naturais e para gerar benefícios sociais nos setores de silvicultura e agricultura. Seu trabalho se concentra na gestão do ecossistema e na proteção da biodiversidade através da análise de como as atividades humanas afetam os serviços do ecossistema. A IMAFLORA fornece uma ampla gama de conhecimento ambiental para apoiar políticas locais de desenvolvimento sustentável em comunidades e áreas protegidas. Ela também se concentra na
agricultura resiliente ao clima e silvicultura para adaptar e mitigar os impactos da mudança climática. O mapeamento das áreas florestais e agrícolas da IMAFLORA busca entender o impacto da atividade econômica rural e uso da terra em subsistências e o meio ambiente. A IMAFLORA orienta a gestão do ecossistema em direção a conformidade com cadeias de fornecimentos sustentáveis de mercadorias, construindo sistemas de rastreamento para o setor privado e clientes para melhor entender os impactos das suas ações no meio ambiente. Os sistemas de rastreamento fazem parte dos programas de certificação ambiental, esforços que são complementares ao potencial da SERVIR-Amazonia em trazer a detecção remota a esforços no solo para monitorar a atividade humana. Desde a Declaração do Rio sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento (1992), a IMAFLORA tem trabalhado para promover os princípios do Governo Aberto, buscando influenciar a construção de políticas florestais, agrícolas e climáticas de acordo com os princípios do governo aberto: transparência nas decisões e prestação de contas à sociedade, participação e políticas de controle social, e o uso de tecnologias que facilitem a satisfação desses objetivos.