Áreas de serviços

A SERVIR-Amazônia desenvolve uma coleção diversificada de serviços geoespaciais adaptados ao usuário que usam observações da Terra e dados da NASA para informar o desenvolvimento resiliente na Amazônia em quatro áreas temáticas

Gestão de ecossistemas

Informações e análises geoespaciais e da Terra são importantes para o monitoramento e gestão do ecossistema. Na Amazônia, informações geoespaciais são regularmente usadas para monitorar
ecossistemas terrestres, como sistemas de alertas precoces de desmatamento. Contudo, o uso de informações geoespaciais para monitorar recursos hídricos e ecossistemas aquáticos/mangue é muito menos desenvolvido. Serviços de observação geoespaciais e da Terra podem fornecer informações para o planejamento e gestão em diversas escalas. A importância relativa de determinadas áreas para a integridade da biodiversidade e ecossistema, análise de possíveis impactos das atividades humanas e opções para decisões sólidas de gestão e conservação são exemplos das necessidades de informações para os principais ecossistemas aquáticos afetados por mudanças sazonais e de maior prazo nos ciclos hidrometeorológicos, alteração do uso do solo e atividades de desenvolvimento como energia hidrelétrica, estradas, mineração e outros.
Contato: Karis Tenneson ktenneson@sig-gis.com

Risco de incêndio e de seca

Temporadas de seca prolongadas e a seca criam um tipo diferente de desastre, incluindo o incêndio, uma das maiores ameaças às florestas tropicais. A Amazônia tem uma longa história de
trabalho de detecção de incêndio, incluindo o sistema de monitoramento de incêndios do Brasil, que fornece dados cruciais sobre incêndios e análise de risco para a América do Sul inteira. Contudo, previsões de seca/incêndio são produzidas em escalas brutas nem sempre aplicáveis para as
necessidades subnacionais de gestão, e a capacidade a esses níveis às vezes também deixa a desejar. Os dados e modelagem geoespaciais e a construção associada de capacidade podem criar serviços de apoio a decisões relacionados ao risco de seca e incêndio que são relevantes em níveis regionais, nacionais e subnacionais.
Contato: Kátia Fernendes kdfernan@uark.edu

Gestão de recursos hídricos e desastres hidroclimáticos

Tanto as cheias e as secas extremas na Amazônia podem causar diversos impactos graves nos sistemas humanos e naturais, e ambos podem ser exacerbados pela variabilidade climática, alteração do uso do solo e práticas ruins da gestão do solo. Na região da Amazônia, diversas áreas enchem sazonalmente. Assim, a variação nos níveis de rios e as cheias associadas podem dramaticamente afetar centros populacionais, a agricultura e o transporte, bem como os ecossistemas naturais. Melhorias na periodicidade de avisos de cheias, usando observações locais de cursos de água combinadas com precipitação remotamente detectadas, podem aprimorar a resposta a desastres e ferramentas de gestão/planejamento.
Contato: Brian Zutta bzutta@sig-gis.com 

Tempo e clima

Dados de tempo e clima são importantes para efetivamente informar a gestão de água e ecossistema, preparação para desastres, segurança alimentar, provisão e gestão de energia, e planejamento do uso do solo. A gestão bem-sucedida de riscos nesses setores exige que informações do clima e tempo sejam fornecidas no momento certo e em formatos úteis. Na região da Amazônia, tais dados nem sempre são coletados, gerenciados, compartilhados e analisados para a produção de informações necessárias para a tomada de decisões nas escalas apropriadas. A personalização adequada das informações sobre o clima para escalas nacionais e locais é importante, bem como o alinhamento de prazos de informações com os prazos das tomadas de decisões.
Contato: Steve Prager s.prager@cgiar.org